sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

Vídeo de como Funcionam os Toca Discos de Polia até anos 1980 Mecanismo Reparo Conserto Restauração

Confiram um Vídeo detalhado de como Funcionam os Toca Discos de Polia usados até os anos 1980. Vejam detalhes do mecanismo e como o sistema automático de alguns funciona (sem usar eletrônica). Para fãs e Colecionadores Vintage.

Toca Discos sempre foram aparelhos fascinantes para as pessoas durante todo o século 20! Este foi um dos primeiros métodos de armazenamento de gravações fonográficas, começando pelo Gramofone (1888) e mais tarde sendo evoluído para os Discos de Vínil conhecidos popularmente no Brasil como LP (Long Play).

O mais famoso formato é o de 33 1/3 (rotações) que é justamente o formato do Long Play, no qual cabem mais músicas. 


Assistam um vídeo no qual mostramos detalhes sobre o mecanismo interno de um Toca Discos de Polia! Inclusive seu sistema automático. Saiba como era feito todo o movimento!






Durante os anos 1960-1980 foram fabricados os melhores modelos de Toca Discos que já existiram, justamente no auge dessa tecnologia. Fabricantes de grandes marcas tais como: Garrard, Philips, Sony, Panasonic, National, Gradiente, capricharam em alguns modelos, sendo que os Automáticos são os mais tecnológicos e impressionantes já fabricados.

Porém a grande maioria deles usa tecnologia de giro do prato por sistema de Polia! Mesmo alguns modelos dos anos 80 ainda utilizavam essa tecnologia por ser mais barata do que seu concorrente Belt-Drive (inventado desde 1961).
EXEMPLO DE POLIAS de Toca Discos

A Polia é uma peça emborrachada que está montada num sistema mecânico que ao ser acionado coloca o motor em contato com a polia, esta por sua vez também faz contato físico com o prato, com isso a polia transmite a rotação entre o motor e o prato do Toca Discos. Para definir a rotação correta do disco 33 1/3,45,78 o motor possui uma outra polia com várias relações de tamanhos, o usuário ao selecionar através da alavanca de velocidade a correta rotação, já define em qual relação a polia e o motor vão se tocar fisicamente. Após acionar o motor, a polia já começa a se mover na relação de velocidade correta, e depois transmite ao prato a rotação, e este passa a se mover na velocidade correta para reprodução do disco. 

Por esta razão é que existe a Polia, pois se o motor fosse conectado diretamente ao Prato mecanicamente não teríamos como definir as relações de velocidade. A polia acaba agindo como um sistema  de  embreagem de um carro, no qual o câmbio/caixa de marcas é a alavanca de seleção de velocidades do Toca Discos.

Isso era o que se tinha de tecnologia barata durante até os anos 1970. Por essa razão, muitos toca discos foram fabricados com essa tecnologia (incluindo muitas vitrolas de Philips e National). 


Conforme mostramos no vídeo o segredo dos mecanismos automáticos estava sendo feito entre o prato e uma engrenagem "CAM" que efetuava o acionamento 100% mecânico de outras alavancas que faziam todo o movimento do braço! Simples mas Incrível, não existia nenhuma eletrônica nesse ponto, pois até Toca Discos 100% mecânicos já eram Automáticos (como o da marca DUAL que mostraremos no futuro).

Mas não se esqueçam de que existem outros Toca Discos fabricados com outras tecnologias de tração. O sistema Belt-Drive, usa uma correia para transmitir a rotação entre o eixo do motor e o prato. O Belt-Drive existe desde 1961, porém como era mais caro foi usado raramente nos modelos de Toca Discos até 1970. No Belt-Drive, como a correia é conectada diretamente entre o motor e Prato, o sistema é muito mais suave a silencioso. Para alterar a velocidade, alguns fabricantes usam duas opções. 
  1.  Uma polia extra no motor com a relação de velocidades que por um sistema de alavanca pode alterar a relação entre a correia e o motor, definindo velocidades diferentes (especialmente entre 33 e 45 rotações. 
  2.  Alterar eletricamente e tensão do motor para controlar a velocidade (mais caro e mais difícil).



Ainda existe outra tecnologia de transmissão,muito mais cara e considera da melhor de todas, mas pelo alto custo, só usados em Turntables de luxo ou nas melhores pick-ups de DJ's. Trata-se do sistema Direct-Drive, que faz o próprio prato do toca discos ser o motor do sistema, sem usar polia ou correias.

Sem Dúvida alguma, atualmente um Toca Discos Belt-Drive é muito mais fácil de se recuperar, do que os Toca Discos que usam Polia. Isso é devido ao fato de que nem todas as polias podem ser recuperadas, devido a poucas empresas estarem fazendo este tipo de restauração. Menor ainda é a quantidade de polias existentes no mercado de peças de reposição.

Já o Belt-Drive nós ainda poderemos efetuar a troca da Correia Novinha por outra e o aparelho retorna ao funcionamento em 95% das vezes.

Contudo, mesmo os Toca Discos de Polia podem ainda ser restaurados/consertados, de forma parcial. 

Caso deseje encaminhe seu produto para nossa empresa realizar um Laudo/Orçamento, e volte a escutar seus discos nos Vintages mais charmosos do mundo!

Infelizmente não reparamos os sistemas Direct-Drive, pois seu custo de manutenção e peças são inviabilizados. Mas estes raramente dão problemas.

Até a próxima.

JMJG
Eng. Eletrônico.

Reações:

0 comentários:

Postagem em destaque

Pacote Office de Graça? E sem vírus ou pirataria! Treinamento e Implantação

Suite Office Gratuita para TODOS os Sistemas Operacionais (Windows/GNU-LINUX/MacOSX)   por JMJG Não importa se tu é usuário de MAC-OS, ...

FIQUE POR DENTRO

Prestador de Serviços Técnicos Eletrônicos/Vídeo Produções Técnicas com Sede em São Paulo-Capital CNPJ: 179732170001-80 Visite www.esijmjg.com nosso site Oficial secundário (0X11) 2308-4673 ou (0x11)96435-5881 Grupo JMJG

2008-2018 ⓇESI JMJG SOM&IMAGEM Serviços Técnicos e Vídeo Produções. Tecnologia do Blogger.